quarta-feira, 2 de setembro de 2015

The so-called Islamic State (ISIS) released a video that shocked the world last month by showing the fiery destruction of the Temple of Baalshamin, one of the best-preserved ruins at the Syrian site of Palmyra. But that was just one of countless victimized historic sites.
O chamado Estado Islâmico (Isis) divulgou um vídeo que chocou o mundo mês passado mostrando a destruição de fogo do templo de baalshamin, um dos melhores-preservado ruínas no site da Síria palmyra. Mas isso foi apenas uma das muitas vítimas sítios históricos.
 
(Tradução melhorada On Translator: O Estado Islâmico chamado (ISIS ) divulgou um vídeo que chocou o mundo no mês passado, mostrando a destruição de fogo do templo de Baal-Shamin, uma das ruínas mais bem preservadas no local síria de Palmyra.  Mas isso foi apenas um dos inúmeros locais históricos vitimizadOs.)

 
Islamist militants in Iraq and Syria continue their war on the region's cultural heritage, attacking archaeological sites with bulldozers and explosives.(Tradução melhorada On Translator: Aqui estão os locais antigos danificados e destruídos pelo ISIS
Militantes islâmicos no Iraque e Síria continuam a sua guerra contra o património cultural da região, atacando sítios arqueológicos com escavadeiras e explosivos.)

ONU quer envolver o Twitter e o Facebook contra os jihadistas

As conclusões de dois dias de reunião em Madri do Comitê Contra o Terrorismo do Conselho de Segurança da ONU não deram grandes manchetes. Apesar da determinação mostrada pelo francês Jean Paul Laborde, diretor executivo do mencionado órgão internacional, ao anunciar: “Chegou o momento de agir”, os resultados de dois dias de reuniões ainda são pouco concretos e as possíveis ações não foram definidas. O presidente do Governo da Espanha, Mariano Rajoy, entretanto, deixou claro que “a Espanha está na linha de frente do combate contra o terrorismo”.
 Em Madri, transformada em “capital mundial contra o terrorismo” – como disse o ministro do Interior, Jorge Fernández Díaz – compareceram “48 representantes de ministérios de todo o mundo e mais de 400 especialistas participantes” para abordar o espinhoso e complexo assunto do fluxo de combatentes terroristas estrangeiros – entre 25.000 e 30.000 – que se uniram ao Daesh (acrônimo em árabe do Estado Islâmico). “Não é possível o diálogo com os movimentos terroristas totalitários”, resumiu José Manuel García-Margallo, ministro dos Assuntos Exteriores espanhol, que lembrou que a Espanha lidera a proposta de criar uma Corte Penal Internacional contra o terrorismo que “impeça a impunidade dos terroristas” que será debatida em outubro.
 Laborde falou sobre as medidas mais práticas que podem ser adotadas, e reconheceu que é preciso aumentar a rapidez e a agilidade da resposta contra os jihadistas, mas se limitou a insistir na criação de ferramentas e sistemas de controle nos movimentos de passageiros (mediante registros nacionais de viajantes) e na importância do envolvimento das empresas que gerem redes sociais como o Facebook, Google e Twitter. Segundo os últimos dados, já são 46.000 as contas do Twitter ligadas ao Daesh.
 
(OBS, Opinião soberana:  ................................                                       ..............................
O TERROR DISSIMULADO
O Êxodo repentino de refugiados pode ser uma armadilha voraz aos países ocidentais.
O advento e ascensão instantânea do "Estado Islâmico-ISIS" é uma coisa muito suspeita e, as pessoas e os líderes europeus, a mídia em geral, não percebem, não tem o mínimo de noção e discernimento ao acolher aqueles que dizem fugir da guerra no oriente médio.
Não se sabe se estes refugiados ou entre eles, estão infiltrados terroristas dissimulados, pessoas cooptadas a integrarem e atuarem como agentes terroristas, que tão logo se posicionem estrategicamente, infiltrando-se em pontos chaves, atuarão como contatos, possíveis espiões que passarão informações vitais ao planejamento tático dos líderes desse grupo terrorista e consequentemente trabalharão também pela causa terrorista, como ativistas e homens bombas.
Esse grupo, parece ser uma facção de dissidentes de vários grupos terroristas como, o Hezbolah, a Al-Qaeda, Jihad Islâmica, ...
Esses Apátridas, que arregimentam qualquer um, tendo uma afluência significativa de jovens de outras nacionalidades que não as de origem árabe. (Extraído de http://brasil.elpais.com/brasil/2015/07/28/internacional/1438080089_353641.html: "Os dados globais falam que entre 25.000 e 30.000 pessoas podem ter se unido às hostes do Estado Islâmico procedentes de todo o mundo. Segundo os números mostrados na segunda-feira pelo ministro do Interior, Jorge Fernández Díaz, os corpos e forças de segurança do Estado espanhóis detectaram um total de 126 terroristas combatentes que viajaram às regiões de conflito. Destes, 25 estariam mortos – “imolados ou em combate” –, 15 estariam em prisões espanholas, outros esperando resoluções judiciais em algum país europeu e 61 permaneceriam livres, dez deles dentro das fronteiras espanholas. Desde 2004, foram realizadas 124 operações na Espanha contra o terrorismo internacional com um total de 568 detidos. E, desde o final de 2011, foram 38 operações com um total de 104 detidos. Nas prisões espanholas existem 80 pessoas condenadas por crimes relacionados ao terrorismo jihadista.")
Além dos ataques a monumentos históricos, um dos alvos principais desse grupo são os cristãos e todos que se interponham na sua caminhada destrutiva. A ONU pode e deve intervir com suas tropas, para deter esse avanço criminoso, antes que a Europa se transforme num Estado Islâmico na literalidade do termo).
(txt. P/ #Jzrobman)