domingo, 11 de outubro de 2015

Como um engano pode se transformar em uma luta para salvar um animal? A canadense Alexandra Lamontagne viajou para a África do Sul para trabalhar como voluntária cuidando de macacos. Mas, ao chegar e se deparar com uma pequena leoa que iria para uma reserva de caça, sua vida mudou.
 
 
 
A canadense Alexandra Lamontagne viajou para a África do Sul para trabalhar como voluntária cuidando de macacos. Mas, ao chegar, se deparou com cinco filhotes de leão - e esta não foi a única surpresa.
A viagem acabou com uma luta para resgatar uma leoa que fora enviada a um local de caça em cativeiro e um documentário contando toda a história.
"Quando cheguei, vi cinco filhotes de leão e comecei a fazer perguntas, porque não era isso que eu estava esperando. Mas me apaixonei por um dos filhotes, por isso fiquei lá", conta ela, que viajou em 2013.
Segundo a voluntária, os responsáveis pelo local diziam que os leõezinhos haviam sido encontrados em uma clínica veterinária, mas ela achava que a história não fazia sentido.
Uma hora, afirma, mandaram que ela parasse de fazer perguntas. "Mas eu não conseguia deixar, me afeiçoei muito. É muito trabalho, tem que dar leite a cada duas horas, de dia e de noite. Eu até dormia com eles", conta."Foi uma experiência que não vou esquecer." (Leia mais em: http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/10/151010_resgate_leoa_lab?ocid=socialflow_facebook )
bbc.in
(#Jzrobman ==> O mercado da caça continua a todo vapor. Essa indústria, assim como a da carne, investe criminosamente na produção animal com seus fins escusos. A da caça, destinada a criar e preparar as futuras e indefesas vítimas de caçadores impiedosos e impotentes(pois se fossem potentes, estariam em suas casas transando com suas mulheres, em vez de, caçando), pois o animal, criado em cativeiro como doméstico, dificilmente terá seu instinto aguçado afim de se proteger dos animais de 2 patas que os perseguirem para matarem-nos covardemente, como foi feito com o leão símbolo, CECIL. Só há uma solução para exterminar de vez com esse crime ambiental, ou se "CAÇA" toda e qualquer licença relativa ou que sejam criados grupos paralelos às polícias dos países envolvidos, com o aval da ONU para se coibir semelhantes atos. Os governos envolvidos direta ou indiretamente, devem estar sendo beneficiados com vultosas quantias ou facilitações em projetos ou coisas do gênero através de grandes empresas e/ou empresários, é o que se pode supor, pois de outra forma, já teriam tomado providências no sentido da preservação e proteção de sua fauna e flora, agindo com austeridade e criando leis rígidas de contenção e coibição a tais despautérios.)