quinta-feira, 26 de novembro de 2015

DO FACE

A Dinamarca é um dos países mais afetados pelo problema da radicalização.
 
 
Em Aarhus, jovens que voltaram da Síria e Iraque podem retomar os rumos das suas vidas. Veja como funciona a estratégia dinamarquesa para lidar…
 São Paulo – Nos últimos anos, a Dinamarca observou o aumento no fluxo de jovens que foram à Síria se juntar ao Estado Islâmico (EI). Muitos deles voltaram e pediram ajuda para deixar o radicalismo. Como resposta, a cidade de Aarhus, que fica a cerca de 190 quilômetros da capital Copenhague, criou um programa de reabilitação para extremistas. Jorgen Illum, comissário da polícia local, falou a EXAME.com sobre o projeto.
exame.abril.com.br|Por Gabriela Ruic