sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)

Mais de 70% dos casos agudos de doença de Chagas no Brasil são resultado da transmissão alimentar. Entretanto, estudo liderado por pesquisadores da Fiocruz mostra que o protocolo mais usado nos estudos de infecção oral realizados com animais pode estar longe de reproduzir o que ocorre no corpo humano.
 

#DoençaDeChagas contraída por via alimentar é mais grave. Depois que a contaminação de alimentos se tornou a principal forma de transmissão da doença de Chagas no Brasil, muitas pesquisas passaram a ter como alvo esse tipo de infecção. No entanto, o protocolo mais usado nos estudos de infecção oral realizados com animais pode estar longe de reproduzir o que ocorre no corpo humano – pelo menos, mais longe do que os cientistas acreditavam até agora. (Foto: Gutemberg Brito) http://bit.ly/1XQ5E4I