sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

NO FACE/CURIOSIDADES


Gazeta Russa
 

Da antiguidade à tradição cristã, os ritos do Natal russo

7 de janeiro de 2016 Dmitri Kikot, Gazeta Russa
Uso de calendário juliano influenciou antigas tradições pagãs, hoje substituídas por celebrações religiosas.
Sabe por que o Natal russo é celebrado em 7 de janeiro? Conheça as superstições que remontam à era pagã. (via gazetarussa.com.br/arte)
 
 
 A Igreja Ortodoxa Russa festeja o Natal de acordo com o calendário juliano, "atrasado" em 13 dias em relação ao calendário gregoriano. Por isso, o Natal é comemorado no país em 7 de janeiro e não em 25 de dezembro, como nos países católicos. Há muitos séculos, porém, não havia essa diferenciação, já que as cerimônias natalícias coincidiam mais ou menos com o solstício de inverno.
Na antiguidade, por exemplo, havia tradições relacionadas com a veneração pagã do Sol, que mais tarde se juntaram às do Natal. Os antepassados tinham por hábito relacionar o clima e as colheitas com fenômenos naturais da época natalícia.

Superstições russas de Natal:

Geada no Natal – boa colheita de cereais.
Nevasca na véspera – folhagem precoce.
Natal sem frio – primavera gelada.
Nevasca perto do Natal faz crescer os enxames.
Céu estrelado – ervilhas na horta.
Neve para os trenós – colheita abundante de trigo-sarraceno.
Dias santos nublados (do Natal ao Batismo de Cristo, ou seja, de 7 a 19 de janeiro) – boas vacas leiteiras; se os dias forem claros – boas galinhas poedeiras.
Para preverem com mais exatidão como seria o novo ano, os camponeses recorriam aos espíritos, apesar da proibição da Igreja. A noite mais longa do ano era a mais propícia: segundo as crenças eslavas, era nessa época que os espíritos impuros se mostravam mais ativos e entravam mais facilmente em contato com os entes terrestres.
(Leia mais em: gazetarussa.com.br)